Prolapso Genital



INFORMAÇÕES PARA A MULHER:
Os pessários vaginais são de uso ginecológico produzidos com silicone, composto inerte para a mucosa vaginal. Quando a cirurgia não pode ser realizada os pessários poderão ajudar na solução do prolapso uterino, prolapso vaginal após remoção do útero ou prolapsos da bexiga ou do reto garantindo uma melhor qualidade de vida a você. Existem inúmeros modelos, cada um com diversos tamanhos, medidas e diâmetros especialmente desenhados para resolver as diversas formas de queda dos órgãos da bacia.

Os pessários estão indicados nos casos em que a cirurgia não puder ser realizada ou quando você não desejar se submeter a uma operação. O pessário também poderá ser usado quando a demora da cirurgia for muito grande. Fale com o seu médico. Ele saberá lhe informar sobre o uso dos pessários no tratamento conservador (sem cirurgia) dos prolapsos genitais.
 
 INFORMAÇÕES PARA OS PROFISSINAIS DA SAÚDE: 
Os pessários vaginais são componentes de usooriginecológico e produzidos com silicone grau médico, inerte para a mucosa vaginal e isentos de látex. 
Indicações: Estão indicados nos casos em que as estruturas musculares perineais necessitem suporte adicional como no prolapso uterino I, II, III e IV graus, prolapso de cúpula vaginal, cistocele, retocele e grandes enteroceles. A incontinência urinária relacionada com flacidez das estruturas musculares de suporte perineal e que não suportem cirurgia corretiva poderão, em certos casos, se beneficiar com o uso de pessários específicos para essa finalidade.

Escolha do pessário: Os pessários mais usados são os modelos DONUT e ANEL. Nos casos de prolapso genital de II e III graus, poderá ser tentado, de início, o ANEL, reservando-se o DONUT para os casos em que o ANEL não consegue resolver.
Outros modelos como o CUBO e o GELLHORN também poderão ser usados se o DONUT ou o ANEL não resolverem a problema. Para a escolha do tamanho, vários parâmetros deverão ser utilizados:
1 - o exame ginecológico com toque bidigital;
2 - verificar se o diâmetro do introito é compatível com a inserção de um determinado modelo;
3 - observar se o trofismo vaginal é adequado;
4 - se o diâmetro virtual do fundo vaginal ao se estender ao máximo os dedos indicador e médio for adequado para o tamanho imaginado.
Devido a esse número de variáveis, a aplicação de um pessário é sempre por tentativas, havendo necessidade do(a) profissional da área médica possuir, no mínimo, dois ou três tamanhos diferentes. Os anéis usados para medir diafragmas poderão auxiliar, mas sem garantias de precisão. O toque ginecológico dará ao médico uma ideia muito aproximada do diâmetro e do trofismo vaginais.
A Medical Software idealizou uma pinça que fornece a extensão do espaço existente do fundo de saco vaginal. É o colpômetro de RANIE que fornecerá uma medida que, aliada aos outros achados acima descritos, facilitará encontrar o tamanho mais aproximado do pessário. Quando a vagina for muito curta a leitura do colpômetro será prejudicada.
 
Inserção: A colocação é sempre realizada em posição ginecológica. Os exames prévios e o toque imediatamente anterior à inserção ensinam sobre o diâmetro vaginal, sua elasticidade e trofismo. Untar o pessário em sua parte distal com um gel lubrificante. Com uma das mãos entreabrir os lábios e com a outra pressionar o pessário de sorte a diminuir o seu diâmetro. Firmemente inserir o pessário até o fundo vaginal e lá rotá-lo para que a sua posição seja transversal ao eixo longitudinal da vagina. O pessário deverá ser introduzido com relativa facilidade ou um menor deverá ser usado. Se o pessário for muito grande, haverá dificuldade em colocá-lo e se for pequeno, será expulso no primeiro ou segundo dia. Fazer a paciente caminhar alguns passos e observar a sua reação ao dispositivo.

Remoção: Todos os pessários poderão permanecer de 10 a 14 dias na vagina com exceção do CUBO e do INFLATOBAL que deverão ser removidos diariamente. Para remover, instrua a paciente para ficar de cócoras a fim de aumentar a pressão intra-abdominal e forçar o pessário para baixo, colocando o dedo médio para alcançá-lo e tracioná-lo para fora. Quando esta posição for muito incômoda, informe a paciente apoiar o pé sobre uma cadeira e com a mão contralateral ela poderá alcançar o pessário. Outra possibilidade para a paciente remover o pessário é através de uma cadeira pequena cujo acento tenha sido removido. Ela poderá sentar-se e alcançar o pessário por baixo.

Cuidados gerais: Instrua a sua paciente a ter muito cuidado nas primeiras quarenta e oito horas, período em que o pessário poderá cair se for pequeno, principalmente ao usar o vaso. Ela deverá proteger com a mão a fim de certificar-se que o pessário não está sendo expulso juntamente com o esforço realizado. Depois desse período dificilmente o pessário cairá. Faça a primeira revisão em três a quatro dias e posteriormente em 10 dias, época da primeira remoção e higienização. Peça à paciente informar sempre que ocorrer corrimento, fétido ou não, sangramento leve ou dor local e certificar-se, também, de que ela remova e higienize o pessário no período indicado sem deixá-lo in loco por muitos dias além do recomendado.

Higienização do pessário: Instrua a paciente para remover o pessário no período recomendado. Após removê-lo à noite deverá lavá-lo muito bem com água e sabão neutro colocando-o em um recipiente (cuba) de vidro ou plástico contendo 300-500 ml de água (água mineral sem gás) adicionada com três (3) colheres de vinagre branco ou ácido acético a 2 %. Na manhã seguinte, enxaguar o pessário, secá-lo e recolocá-lo novamente agora na posição deitada. Na noite do descanso vaginal é recomendado o uso de um creme vaginal. O pessário não deverá ser fervido. A fervura diminui a sua vida útil.
 

Entre em contato e esclareça suas dúvidas.

Medical Software Pessarios - 2016 © Copyright - All rights reserved.

Criação de Sites - Artweb